A carteira de trabalho digital, disponível em forma de APP desde novembro de 2017, deve ter prioridade nas emissões a partir da portaria 1.065 do Ministério da Economia, que foi publicada no Diário Oficial da União.

A portaria determina que o documento físico continua válido, mas que agora a opção digital pode substituí-lo e o trabalhador pode optar por ter apenas a versão eletrônica.

Todos os cidadãos inscritos no Cadastro de Pessoa Física (CPF) terão a carteira de trabalho digital emitida automaticamente.

Para habilitá-la o indivíduo deve se cadastrar no site Emprega Brasil ou no aplicativo com seus dados pessoais, sendo que o documento é certificado já no primeiro acesso.

Como a carteira de trabalho digital é vinculada ao CPF, o empregado poderá informar o número ao empregador, e a partir daí, os registros passam a ser eletrônicos e equivalem às anotações que até agora eram feitas diretamente no documento, assim o trabalhador terá acesso às informações do contrato de trabalho diretamente no site ou no APP.

A criação da carteira de trabalho digital faz parte da Medida Provisória da Liberdade Econômica, pacote que tem o objetivo de desburocratizar as relações entre trabalhadores e empresas.