Após a aprovação em primeiro turno pela Câmara dos Deputados em 10/07/2019,estima-se que a economia a ser gerada será de R$ 933,5 bilhões em dez anos.

Essa estimativa considera uma redução de R$ 914,3 bilhões em despesas previdenciárias e um aumento de R$ 19,2 bilhões com a alíquota de CSLL (contribuição Social Sobre Lucro Líquido) para os bancos.

Para aprovar a proposta da reforma, o Governo precisou recuar em alguns pontos importantes, como as regras para a aposentadoria para homens e mulheres da iniciativa privada, professores, policiais federais e poupar os trabalhadores rurais.

A reforma ainda precisa ser aprovada em segundo turno pela Câmara, pois trata-se de uma alteração no texto da Constituição.

A IFI (Instituição Financeira Independente) deve apresentar uma nova previsão de impacto para a reforma, que aliviou as regras para os professores, policiais federais e trabalhadores da iniciativa privada, reduzindo a exigência para 15 anos, porém os jovens que ainda vão iniciar a vida laboral precisam contribuir por 20 anos.