O termo mudança climática ou alteração climática, refere-se à variação do clima em escala global dos climas da Terra ao longo do tempo.

Estas variações dizem respeito a mudanças de temperatura, precipitação, nebulosidade e outros fenômenos climáticos, e tais variações podem alterar as características climáticas, como alterar sua classificação didática.

Os tipos de classificação para as regiões climáticas são: Classificação do clima de Köppen, Classificação do clima de Thornthwaite e Classificação do clima de Martonne.

Estas alterações podem ser causadas por forças externas, como por exemplo, variações na atividade solar, ou pelo resultado da atividade humana.

A temperatura pode aumentar entre três e cinco graus até o final deste século, se não forem tomadas atitudes para minimizarmos os efeitos nocivos à natureza e à produção agícola.

Para evitar queda na produtividade da cultura de grãos, é necessário melhorar as pastagens, integrar a lavoura à pecuária e reduzir as emissões de carbono, mantendo, desta forma, mais água no solo.

A região Nordeste poderá sofrer perda significativa na produção de milho, arroz, feijão e algodão e a sobrevivência do café será pouco favorável na região Sudeste.

A soja poderá ser a cultura mais afetada com a mudança no clima, em decorrência do aumento da deficiência hídrida, gerando prejuízos de bilhões de reais.

O aumento da frequência de chuvas e tempestades fortes na região Sul poderá causar problemas para a mecanização agrícola, devido à inundação das áreas cultivadas.

Plantações de cana-de-açúcar, trigo e arroz também podem sofrer perdas devido aos ventos fortes, que levam ao acamamento dessas culturas.

É extremamente necessário que sejam adotadas medidas colaborativas e integradas, para minimizarmos a mudança climática, a segurança alimentar e o desenvolvimento social e econômico mundial.